02 maio, 2007

a busca




Ela estava desfeita.
Uma parte dela tinha sido morta, despedaçada.
Chorou. Chorou copiosamente.
Provou então o sabor amargo do infortúnio.
E sentiu-se tão só, tão desamparada.
A dor tinha tomado de assalto a sua vida.
Não era a primeira vez.
Sabia-se perdida. Sabia-se só.
Sofrimento. Restou um imenso sofrimento.
Carpiu a perda, carpiu a dor, carpiu o desespero.
Uma parte de si estava desfeita em pedaços.
Restava-lhe apenas uma saída: resgatar cada um deles.
Restava-lhe encontrar cada pedaço de si.
Restava-lhe resgatar a vida, toda ela, completa.
Restava-lhe restaurar a sua própria existência,

para voltar a ser inteira.
Percorreu todos os caminhos.
Perguntou a todos quantos se cruzaram com ela.
Conheceu muitas terras, muito lugares.
Passaram-se anos.
Descobriu-se, descobrindo o mundo.
Viveu muitas peripécias e tornou-se mais forte, mais hábil.
Durante o percurso ajudou desconhecidos

e foi ajudada pelos seus fiéis amigos.
Transformou os obstáculos em oportunidades.
Nunca desistiu de encontrar-se.
Bocado a bocado foi juntando as partes de si própria.
Pedaço a pedaço resgatou o que tinha sido desfeito.
Cada fragmento, cada porção de si mesma…
E aprendeu, conheceu, experimentou o caminho da busca,
do reencontro e da reunião do todo.
Venceu.
Por amor à vida, fez-se mestre,

fez-se deus, fez-se dadora da vida.
Fê-lo por amor, com amor.

Tornou-se sábia.

22 comentários:

Joaquim Amândio Santos disse...

o que nos ilumina jamais poderá ser o que nos consome.
aconchega-nos no calor do sentimento.
não nos reduz a cinza com o inferno da posse!

LARA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LARA disse...

O Sofrimento purifica e faz-nos voltar para outros caminhos e perceber que o mundo é tão vasto e a nossa vida é um fósforo.
Estarei por aqui pouco tempo no blog, mas não vou morrer...lol, mas continuo a ler os teus textos lindissimos até ao fim.
Beijinho profundo.

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Devia ser lema de vida para todos nós...
Sempre!!!

Muito bonito este texto!

=^.^=

o alquimista disse...

A tarde caiu, o sol partiu
No do vago que resta do dia
A tua presença é luz que me aquece
Coração a navegar, inconstância
Nas águas puras desta lagoa
Uma hortensia murmura um rumor
Um milhafre o amor apregoa...

Bom resto de semana...


Doce beijo

João Barbosa disse...

Um beijinho e boa noite... é tudo o que me apetece dizer.

oceanus disse...

Há muito tempo que visito este teu espaço, mas sempre em silêncio vou levando pedaçinhos dos teus pensamentos...
E...
Hoje fiquei sem palavras pela beleza do texto...magnífico!

um abraço do fundo do Oceanus

wicky disse...

pedaços da vida de cada um de nós que aqui encontramos-

Há momentos tão dificeis, tão sós, tão desesperantes de sofrimento e confusão
que nos levam a outros caminhos
nos enriquecem na busca
nos fazem retornar à vida
ao todo
à sabedoria
e ao amor.
Com amor!

Um beijo para ti

isabelua disse...

Que posso dizer? Obrigada

Margri disse...

As perdas e o sofrimento são certamente "abanões" que a vida nos dá para nos fazer acordar.
E a personagem desta história parece que acabou por acordar, depois do desespero inicial e da procura.

"Transformar os obstáculos em oportunidades", seria um lema perfeito para cada um de nós.

Beijinhos.

Teresa Durães disse...

(vou precisar de mais umas vidas nesta terra até conseguir tal :)))

Adorei a história!

veritas disse...

Que magnífico poema-relato de uma vida, ao lê-lo senti-me aqui e agora, um reflexo diante do espelho...da alma...
É cada vez mais estimulante passar por aqui.
Bjs. Bom fim-de-semana.

ordePadamaR disse...

Que bom que ainda por aqui andas, a desejar sempre dias felizes a toda a gente... e a fazê-las parar..e a mudar..copiando a tua assinatura..dias felizes..que bom ver-te em tantos blogs dessa forma.

Isabel José António disse...

Querida Amiga Sa.ra,

Este é um texo do verdadeiro ALQUIMISTA. Fazer das franquezas forças e transmutar tudo em aprendizagem; ir ao fundo e voltar e olhar sempre a beleza inerente a tudo o que existe.

Parabéns.

Um grande abraço

José António

Jardineira aprendiz disse...

Caminho pedregoso...
E haverá outro?

Beijos

Hanah disse...

Lindo dia !!!!

Beijo

Teresa Durães disse...

MÃE MULHER MAIO. E linda!!!!
como és!!!

Por todos os momentos, por todas as palavras, por ti, MÃE E MULHER

tem um bom dia!!

as velas ardem ate ao fim disse...

Adorei ler te simplesmente.

bjos

sa.ra disse...

Beijinho a todos e a cada um!
obrigada pelas vossas visitas!

Jorge Moreira disse...

Lindíssimo!
Deixei-te um desafio no meu blog...
Beijinhos,

Nélia disse...

Caro(a)s Bloggers,


A NEGRA TINTA EDITORIAL tem o grato prazer de lançar a obra “CÂMARA ESCURA (revelação), do poeta Joaquim Amândio Santos, com prefácio de António Lobo Xavier.

Sendo esta obra mais um trabalho nascido de um escritor cuja carreira foi lançada na blogosfera, a exemplo das edições previstas e possíveis no futuro próximo desta editora, será importante contarmos com a honra da presença de bloggers nas diversas acções de lançamento da obra.

Nesse sentido, solicitávamos indicação de morada ou preferência por receber o convite por mail, bem como qual dos eventos escolhem para nos honrar com a sua presença.

Lançamento e Apresentações:

31 de Maio Funchal
8 de Junho Penafiel
14 de Junho FNAC Norteshopping, Porto
28 de Junho FNAC Chiado, Lisboa
5 de Julho FNAC Coimbra


Aproveitámos ainda para solicitar que qualquer manuscrito que entendam colocar à consideração desta editora para possível publicação, seja enviado por este mail, ao meu cuidado, estando previsto editarmos até 4 obras, nascidas na blogosfera, até Março de 2008.

Saudações Literárias,

Nélia Maria Pereira
Edições e Comunicação
NEGRA TINTA EDITORIAL

brilho-de-conta disse...

sublime
:)*