26 março, 2007

Estou sentada à beira do mundo

Não acredito em deus, nem em deuses, experimento-os.



"Sejamos claros: estou sentado à beira do mundo, cercado de enigmas. Tenho medo e, ao mesmo tempo sinto-me fascinado. Faço preces ao meu deus favorito. Não creio nos deuses dos exegetas. Não aceito as teorias dos especialistas. Espero o instante favorável e analiso os indícios. O mundo é um livro aberto. A esfinge devora os timoratos. O silêncio instala-se. Recolhimento, meditação - meditação. Uma chuva de meteoros por cima da minha cabeça. Rezo a Trimegisto. Construo o meu laboratório para trabalhar e rezar mais. Osíris-Saturno passa de negro a verde. As zonas mais subtis podem destapar-se. Integro todos os meus poderes e lanço-me à reconsquista da Esfinge serena."
René Lachaud


"O que não experimentou sabe pouco. O que experimentou crê na sabedoria. Deixa o sábio aprender mais"
Zózimo de Panopólis (sec. IV d.C)



"Estou sentado à beira do mundo"
Ramsés II, ainda criança

(Ramsés II reinou aproximadamente entre 1270 e 1213 a.C)

18 comentários:

Jardineira aprendiz disse...

Estou contigo amiga. Os olhos fazem um esforço para descolar as pálpebras e abrir. O sono é longo.
Boa semana, beijos!

o alquimista disse...

...Estamos! E sabes uma coisa?! Cada vez acredito menos nele...


Doce beijo

Tiago disse...

Neste instante de mundo, experimento, concluo! duas mãos e mente aberta à evolução...

bjs
Tiago

raquel disse...

seja por que razão for - e normalmente, infelizmente, é por desepero - sinto que as pessoas procuram conhecer, questionam. não se pode passar uma vida inteira a temer! como aconselham religiões que nos são tão próximas, culturalmente falando. "temer a Deus"?! porque não "ter a bondade de se descobrir"? ser Deus é isso mesmo, descobrir-se, descobrir o mundo, melhorá-lo, naquilo que tem para dar e receber.
mil beijos menina Primavera!

Isabel José António disse...

Querida Amiga Sa.ra,

Já vem de antanho a resposta ao sabermos quem somos. Muitos parabéns pela tua permanência na blogoesfera e na manutenção da profundidade que todos os teus textos manifestam.

Deixo-te um poema saído hoje da forja e parece-me que se adequa ao tema:

QUEM ÉS

Do fundo do tempo vens
Buscando um fio condutor
És partícula e tudo tens
Para partilhar teu amor

És todo Universo a pulsar
És o Nada e o Tudo calados
És o Todo que está a cantar
Na orla dos tempos mudados

Teu riso vem do coração
Em teu sangue a vida corre
Voas rumo àquela emoção
Que permanentemente ocorre

Tua alma procura o lugar
Aquele lugar íntimo e profundo
Onde num doce e breve olhar
Se pode abarcar todo o Mundo

Mundo ao qual pertences
Mundo que tu própria és
Átomo permanente que vences
A impermanência de lés a lés


27/03/2007

José António

Um abraço

Avusa disse...

O Egipto...

Muito bonito o pensamento!!!

bjs amiga

cris disse...

Façamos desse teste, e mesmo sem querer testar, a nossa realidade!
Aquela onde sentimos, acima de tudo, a nossa verdade :o)

Abraço *

Hanah disse...

Maravilha !!!!....

beijo de boa semana !!!

Teresa Durães disse...

ando mais na fase da procura. o que (eu) experimentei não gostei. se adquiri sabedoria foi mais ao jeito de José Régio:

- Não sei para onde vou
só sei que por aí não vou

beijos

wicky disse...

Integro todos os meus poderes e lanço-me à reconsquista da Esfinge serena."
é mesmo o que temos de fazer ...para sobreviver
VIVER!

beijos

Margri disse...

De Deus, só sei que não acredito naquele que as religiões nos impingem, antropomórfico, criado pelos homens à sua imagem e semelhança, e em nome do qual foram e são cometidas as maiores barbaridades: no Ocidente, durante a Idade Média, e actualmente no Médio Oriente e em África, em nome de outro deus que apenas difere no nome.

Creio que estamos muito longe de poder compreender e definir essa energia primordial e criadora.

No entanto não faltam testemunhos da existência de outras dimenções, de outros seres menos densos fisicamente, que possivelmente também andam à procura de Deus.

Desculpa ser longa, mas o assunto presta-se a isso.

Abraço

entre linhas disse...

Estámos longe de acreditar,seja naquilo que for...

Boa semana

Bjs Zita

Margri disse...

Desculpa o erro ortográfico acima: escrevi "dimenções" em vez de dimensões. Fica a correcção.

João Barbosa disse...

eis um conceito interessante, esse de moldar Deuses às nossas necessidades. Eis, eu, omnipotente!... Giro!

Margri disse...

Para responder ao João Barbosa, quando falo de um deus criado pelos homens à sua imagem e semelhança, refiro-me sobretudo a ele ser visto como um ser individual, com características de pai (e também de carrasco), com necessidade de ser amado e adorado, que pode ter sentimentos de ira (frequentes na Bíblia) e preferir alguns dos seus "filhos".
Tudo isto são características bem humanas.
É claro que lhe deram também vários aspectos omni (omnisciente, omnipotente, omnipresente), que podem não ser mais que a projecção de um desejo humano das características que os homens gostariam de ter.
Admito a existência de "nini-deuses" deste tipo, seres mais avançados na escala da evolução, mas parece-me pouco plausível a existência de um Deus supremo tão terra-a-terra.

wicky disse...

à beira do mundo prefiro continuar com uma outra viagem , e aqui deixo o desafio para quem quizer seguir-me

beijinhos

avelana disse...

não fiques prái sentada à espera,
a vida verde existe !

um beijo

sa.ra disse...

obrigada pelas vossas visitas e comentários!

desta vez não vou comentar os vossos comentários... as interpretações são pessoais, inclusive a minha
:)

continuo sentada à beira do mundo, e escuto (nos/vos) ...

beijos
dia muito feliz a todos!