09 julho, 2007

A Evolução da Forma



A evolução da forma

Toda forma que vês
tem seu arquétipo no mundo sem-lugar.
Se a forma esvanece, não importa,
permanece o original.

As belas figuras que viste,
as sábias palavras que escutaste,
não te entristeças se pereceram.

Enquanto a fonte é abundante,
o rio dá água sem cessar.
Por que te lamentas se nenhum dos
dois se detém?

A alma é a fonte,
e as coisas criadas, os rios.
Enquanto a fonte jorra, correm os rios.
Tira da cabeça todo o pesar
e sorve aos borbotões a água deste rio.
Que a água não seca, ela não tem fim.

Desde que chegaste ao mundo do ser,
uma escada foi posta diante de ti,
para que escapasses.
Primeiro, foste mineral;
depois, te tornaste planta,
e mais tarde, animal.
Como pode ser isto segredo para ti?

Finalmente foste feito homem,
com conhecimento, razão e fé.
Contempla teu corpo; um punhado de pó
vê quão perfeito se tornou!

Quando tiveres cumprido tua jornada,
decerto hás de regressar como anjo;
depois disso, terás terminado de vez com a terra,
e tua estação há de ser o céu.

Passa de novo pela vida angelical,
entra naquele oceano,
e que tua gota se torne o mar,
cem vezes maior que o Mar de Oman.

Abandona este filho que chamas corpo
e diz sempre Um; com toda a alma.
Se teu corpo envelhece, que importa?
Ainda é fresca tua alma.

Jalal ud-Din Rumi
Poeta e místico sufi do século XIII
(Poemas Místicos, Ed. Attar, 1996)

19 comentários:

Filipe Oliveira disse...

Olá.
Fiquei a pensar no seu comentário.
Dei mais luz às palavras, diga se está melhor.
Volto em breve...
Bjs

Avusa disse...

belo retorno…

bjs amiga!

Vida disse...

Excelente poema que nos descreve de uma forma serena e doce os vários ciclos por que passamos.

Beijo.

as velas ardem ate ao fim disse...

Bom regresso.

A minha ama inquieta está cansada.

bjinhos

Agharti disse...

Lindissimio.
Deixa-me mandar-te este.


Vem,
Conversemos através da alma.
Revelemos o que é secreto aos olhos e ouvidos.

Sem exibir os dentes,
sorri comigo, como um botão de rosa.
Entendamo-nos pelos pensamentos,
sem língua sem lábios.

Sem abrir a boca,
contemo-nos todos os segredos do mundo,
como faria o intelecto divino.

Fujamos dos incrédulos
que só são capazes de entender
se escutam palavras e vêem rostos.

Ninguém fala para si mesmo em voz alta.
Já que todos somos um,
falemos desse outro modo.

Como podes dizer à tua mão: "toca",
se todas as mãos são uma?
Vem, conversemos assim.

Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma.
Fechemos pois a boca e conversemos através da alma.
Só a alma conhece o destino de tudo, passo a passo.

Vem, se te interessas, posso mostrar -te.

Jalal ud-Din Rumi

Mofina Mendes disse...

Mas também existe a possibilidade de o corpo ser pó, cinza e nada...

Gostava de ter uma fé inabalável sobre muitas coisas. Apesar de tudo, já fui muito mais descrente!

Bjinhos

oceanus disse...

Palavras sábias...

Beijinhos do fundo do Oceanus

RV disse...

Sem qualquer dúvida que o corpo é somente pó e cinzas, ou não seria ele chamado de corpo.

Isabel José António disse...

Querida Amiga Sa.ra,

Este post faz-me lembrar o "Ciclo da Água na Terra". Dir-se-ia que este teu texto seria como que uma espécie de "Ciclo de Vida da Consciência" que vai mudando sempre entre os planos da existência mas sempre mantendo a unidade como tudo o que existe mas também experienciando tudo por quanto passa.

Muitos parabéns pelo bom gosto.

Um abraço

José António

Patrícia Santos disse...

Tá aí...


Gostei!!!

Jardineira aprendiz disse...

'A água não seca!' Só nas horas de desânimo parece que sim.

Bjinhos!

João Barbosa disse...

:-)

Om-Lumen disse...

Olá :-)

Tudo bem?

Desculpa deixar aqui algumas palavras fora do contexto do teu post.

Se te interessar dá uma vista de olhos no meu último post no blog Om-Lumen.

Abraço amigo.

Om-Lumen

ordePadamaR disse...

Uma pérola...

..da metempsicose e tranmigração da alma, está aqui tudo..da forma e da vacuidade..a unidade

Tristemente ignorante a nossa cultura ocidental que obscureceu e de forma arrogante se esquece, quando não condena ao ostracismo ou mesmo escarnece da cultura árabe e dela, estas jóias.

Obrigado

sa.ra disse...

ordepadamar,

Concordo contigo, está cá tudo.
a sabedoria é UMA e não é exclusiva de nenhuma religião.
os sufis, dedicados à contemplação, meditação, ciência, mistícismo e filosofia trilharam o mesmo caminho e encontraram o conhecimento que, independentemente das culturas e das religiões, conduz à verdade.

infelizmente, a via dos sufis (individual, de reflexão e estudo, de entrega e busca interior) foi interrompida com a vitória do Islão fundamentalista (sunita).
Desde esse suicídio intelectual, filosófico e de investigação, o Islão megulhou numa Idade Média que perdura há séculos.

A espiritualidade sucumbiu em favor a obediência às normas, pilares que penalizam o pensamento individual e a inovação.
Reduzido a um sistema de regração social e de obediência, o Islão perdeu as suas virtudes espirituais e dedicou-se à política.

Ainda hoje, a noção de indivíduo, de individual, de individuação da experiência espiritual, de liberdade interior e de livre pensamento, continuam inscritas no quadro das heresias e dos pecados capitais.

Infelizmente o legado Árabe foi destruido por um processo inquisitorial interno brutal, com perseguições, execuções e destruição quase total das obras produzidas pelos filósofos e místicos.

Uma pena!
Mas o que sobrou é a prova de que o Islão trilhou outros caminhos, bem diferentes daqueles que até hoje contribuiram (e com razão) para a sua má reputação.

Obrigada pela tua visita e pelo teu comentário!

beijo
Tem um dia muito feliz!

sa.ra disse...

agharti,

lindíssimo!

Rumi tem poemas belíssimos!
Obrigada!

beijinho
tem um dia muito feliz!

ordePadamaR disse...

:-)
querida Sa.ra,

de novo obrigado, pela pérola e agora também pela contextualização.

Dos sufistas confesso que não sei nada, excepto que invadiram a Índia e por lá deixaram uma grande divisão que acabou por dar o Paquistão..Ah! e o Tajmahal. Da sua prática mística nada..mas quem na arte consegue dar uma tão grande expressão da beleza, pureza de intenção (Amor dedicado)e sentimentos ou, escrever com luz tão clara de sabedoria, tem que se alicerçar uma grande cultura.. textos destes não se leêm todos os dias..só mesmo em dias felizes

Dia feliz também para ti :-)

saudosista do futuro disse...

forma de forma a
que o futuro seja
composto das sementes
que eu lançe.


(...)

lAnço...

Vieira Calado disse...

Uma bela tradução. A poesia é universal. De ontem e de hoje.
Beijinhos.