27 julho, 2007

Maestro da Paz



Diz que o silêncio é como a força da gravidade - todo o som é atraído pelo silêncio e aí se precipita.
Diz também que uma orquesta é um exercício de integração e conciliação. Todos têm de se ouvir e ouvir os outros - é um diálogo feito com generosidade, respeito, igualdade, humildade...


Daniel Barenboim vai estar em Portugal com a West-Eastern Divan, fundada por si.

Esta orguestra que não é apenas um projecto musical, mas também um fórum para o diálogo e reflexão sobre o problema Israelo-palestiniano. Através dos contactos interculturais estabelecidos pelos artistas, o projecto pode ter um papel importante no ultrapassar das diferenças políticas e culturais entre países tradicionalmente rivais. Neste modelo, uma orquestra serve como um bom exemplo de uma vivência democrática e civilizada. A base da orquestra é formada por músicos israelitas e árabes em igual número, a que se juntam intérpretes andaluzos. Desde a sua criação em 1999, a West-Eastern Divan Orchestra apresentou-se em vários países europeus (Espanha, Alemanha, Reino Unido, França e Suíça) e América (EUA, Argentina, Uruguai e Brasil).

20 comentários:

Agharti disse...

Comentário lindissimo.

Se não houvesse sombra também não veriamos a luz, da mesma forma que o silêncio é o quadro vazio onde vamos projectar toda a harmonia ou desarmonia.
A orquestra é a própria natureza inteira, todos temos um contributo que deve estar em harmonia com o todo.
Parabéns linda pelo comentário.
Bom fim de semana.
Beijinho

sofialisboa disse...

faz agora dois anos que os vi em Merida, adoreipela filosofia que está por detrás pela musica que está á frente, são bosm e valem ser vistos e ouvidos. sofialisboa

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Vim dizer-te que disseste algo muito impostante no teu comentário... talvez tenhas sentido!
Hoje é um dia muito impostante para mim :) e esta esperança toda deve-se a isso!
Obrigada pela tua sensibilidade!

=^.^=

Jardineira aprendiz disse...

'O silêncio é como a força da gravidade'! Sem dúvida! A música sem silêncio não seria música e o silêncio sem a possibilidade da música seria também insuportável (pelo menos para mim)

A ideia da orquestra como um espaço de diálogo é muito interessante, tocar música com outras pessoas é um exercício muito interessante porque exige uma coordenação mais subtil que a que ocorre a nível racional - para alguns é tão fácil, para outros tão difícil! Quando se consegue na perfeição é um prazer tão grande! (Bem, pelo menos para os amadores como eu!)Era interessante que fosse assim com tudo...

Epa, grande comentário!

Olha, não vou poder ver, mais uma vez Lisboa está muito longe...

Beijos, e quando vires isto já é boa semana!

veritas disse...

Despertaste-me o interesse por esta excelente personalidade...

Bjs. Bom fim-de-semana.

wicky disse...

interessante ideia !

fazem falta muitas mais orquestras deste tipo aplicadas a outras questões

oceanus disse...

hoje passo para desejar um dia muito feliz e ...

um beijinho do fundo do Oceanus

Rhiannon disse...

Segui o rasto.. :)

Encontro esta belissima nota introdut�ria: da for�a do sil�ncio � harmonia de uma orquestra - retrato completo de uma Humanidade em di�logo de paz e enriquecida pelas muitas vozes e sil�ncios.

Volto a dizer: muito bonitas as tuas palavras.

Filipe Oliveira disse...

Não conhecia.
Com grande pena minha não vai ser possível assistir, pois o projecto é bastante interessante.
Obrigado pelo aviso.
Bjs

Hanah disse...

Música das esferas....

muito boa semana....

Hanah

bettips disse...

Tinha lido, conhecia o projecto que me entusiasmou. Por estas, e por isso, acho a arte um meio de diálogo tão ENORME que venero os seus veículos de comunicação. (Lembrei-me de ti no Museu de Arqueologia. Hei-de ter coisas para te mandar, tu sabes, aquelas manias das fotos, postais...Tu recorda-me, minha querida, se eu "plissar" neste confuso verão). E o armário de que falei um dia destes, era o teu livro, para eu arrumar as coisas soltas e resistir, ainda...beijinhos .Ra

Papoila Sonhadora disse...

Ola, sobre o Silencio: "ELOGIO DO SILENCIO" de Marc de Smedt.
Tudo bem?
Para ti qual o maior enigma, a Alma ou o Amor?
Papoila Sonhadora,

Mofina Mendes disse...

O bom das utopias é a possibilidade de se tornarem reais.

Boas férias e bjinhos!

Frioleiras disse...

Excepcional a condução de Daniel Barenboim...

Contudo, um certo "mal estar" que tirou a plenitude da fruição... As palmas do público no final do 3º andamento , julgando, portanto, que seria o final do 4º andamento da Sinfonia Nº 6, em Si menor, op. 74, "Patética" ... a sinfonia mais conhecida de Tchaikovsky ! (que eu saiba, e poderei estar enganada, só esta sinfonia, a 3ª de Brahms e a 9ª de Mahler é que acabam com um andamento lento. Ora este 3º andamento tem tudo, todo o "mundo" da música do romantismo, na sua plenitude exuberante, menos o ser lento ...) .

Visivelmete contrariado, Barenboim abandonou "correctamente" o palco... Sentiu-se o quanto o incomodou esta "gaffe" do público (o público duma sala repleta com um ar "abonado/sofisticado" e "entendido" ... ).

Este concerto em Lisboa é o concerto que Barenboim e esta sua orquestra (fascinante) deram , antes da sua exibição no Festival de Salzburg, no próximo dia 13.

bono_poetry disse...

ola...eu comento pelo significado do acto e da importancia que possa ter...mas como sabes e muito relativa...sao povos que vao manchar a terra que ambos querem com sangue de geracoes e geracoes de familias inteiras...mas o acto em si e sempre muito necessario para alertar consciencias em td o mundo...

bettips disse...

Deixar-te abraços. Felizes porque para ti deverão ser.

bettips disse...

Ando a ver quando chegas para ser "primas"... Bj

as velas ardem ate ao fim disse...

Silencio pff.

bjinhos

bettips disse...

As minhas saudades "resistem" e são do tamanho do mês de Agosto: infinitas! Bjinho

Teresa Durães disse...

(onde estás?????)