19 abril, 2006

em nome do Amor



Não existe nada fora de ti, que não exista dentro de ti.
Não existe nada que busques fora de ti, que não possas encontrar em ti próprio.


Se buscas o amor, compreende que é em ti que ele se manifesta. Entende que a tua vontade de ser amado é a ânsia do amor que falta em ti próprio, por ti próprio e que procuras suprir através do amor que esperas receber dos outros. Percebe que tu és o grande fazedor, operador, dador e receptor de amor na tua vida. Não entregues a realização do amor, na tua vida, nas mãos dos outros. Não peças, não esperes. Dá e oferece, tal como gostarias que te fosse dado e oferecido. Não exijas de ninguém aquilo que ainda não obtiveste de ti: amor incondicional.




Não confundas amor-próprio com vaidade, com arrogância. Por detrás da vaidade há sempre vergonha, insegurança. A vaidade é outro nome para afirmação sublinhada, enfatizada. Só precisa impor-se quem se move na dúvida, quem duvida de si próprio. O amor não esconde nada nem revela nada. O amor é uma energia e por isso serve apenas para pôr em marcha, para criar movimento, acção. És tu, e não o outro, a única central energética que produz o amor que alimenta a tua vida, te alimenta a ti e aos que te rodeiam. Ser amado é uma resposta e um resultado da relação causa efeito – o que vai volta. Ama e, sem dúvida alguma, serás amado. A vida opera, sem esforço, o justo e eterno retorno de tudo aquilo que é gerado e posto em marcha.



Amar não é ser bonzinho. Amar é agir com amor, movido por amor, por benquerença, a ti e ao outro. É também dizer “não”, deixar ir, partir e, muitas vezes, renunciar. Amar é antes de mais libertar, a ti e aos outros das condições que colocamos, tantas vezes, no exercício de amar – amar só quem nos corresponde, dar tendo em vista aquilo que queremos obter, possuir para sentir segurança, sacrificar e sacrificar-se como provas de amor.
Amar é iluminar e aquecer como a luz do Sol. É dar, indiferenciadamente, sem expectativas nem julgamentos. Amar é brilhar, gerar luz, calor, força. Amar é auto-gerar essa energia e perceber que o amor é uma responsabilidade exclusivamente nossa – que somos responsáveis por gerar essa energia nós próprios, em nós próprios, por nós, para nós e para os outros.




Por isso aceita-te, mima-te, cuida de ti. Perdoa a tuas falhas, os teus erros e todos os teus fracassos. Aprende com eles. Não há prémios nem castigos, apenas experiências. Compromete-te contigo próprio a amares-te incondicionalmente, antes de te comprometeres com o outro ou a exigires dele esse compromisso.
Amar é perdoar. Amar é aceitar. Aceita-te tal como és e ao outro tal como ele é. E, antes de julgares que a tua vida poderia ser bem melhor se o outro mudasse, pensa no quanto poderias fazer por ti e pela tua vida se tu próprio mudasses. Supera-te antes de pedires a alguém que se supere por ti, para teu benefício. Tu és a única pessoa sobre a qual podes agir e sobre a qual deténs o poder da transformação.
Por amor, olha para dentro. Por Amor...

23 comentários:

Maria Costa disse...

O meu comentário a este belissimo texto é o dizer do Amor.
Mas se me permite deixarei em saliência esta bela frase de Luz: "Amar é iluminar e aquecer como a luz do Sol".

Obrigada, obrigada Sa.Ra.

Dia feliz e um beijinho.

greentea disse...

por Amor

com AMOR

sem dúvida, sa.ra

obrigada pelo Amor que dás
pelo SOL que brilha em ti

sa.ra disse...

Maria do Céu,

Curioso ter sublinhado essa frase... a verdade é que entendi a natureza do Amor, quando senti o Sol, quando engendrei com ele... quando finalmente o percebi em mim - em baixo como em cima!

Foi um momento fabuloso, de dilatação do coração! êxtase, alegria pura, felicidade plena!

e, então, percebi que Sol e Amor é o mesmo, e que quando brilham é para Todos ... e que é mesmo isso, o Amor Universal... a verdadeira fraternidade!

beijo!
Amor e Luz!

sa.ra disse...

Greentea,

obrigada eu!
já vou ver-te à tua "casa", para um chá, se te apetecer!

beijo
até já!

raquel disse...

linkadíssimas, as tuas palavras:)

sa.ra disse...

Raquel!

Olá outra vez!
linkadíssimas?! acho que sei... que sei onde, aonde!

beijo!
tem um dia cheio de Amor!

jorgesteves disse...

Lembrei-me daquele imorredouro poema 'If' do Keplling...
Fundamental cartilha de afectos!
jorgesteves

sa.ra disse...

Joege E.

confesso a minha ignorância!
não conheço o poema...
mostras-me?

(estou sempre a pedir-te que me esclareças, ilumines, etc.... já reparaste? tens paciência?!?

beijos!
um dia com muuito amor!!!

Jardineira aprendiz disse...

Belo texto, mais uma vez, Sa.ra. Quando venho aqui a correr fico com a sensação de que os teus textos compensam a falta de parar para respirar!
O que te prometi sobre aqueles sites vai ter que esperar mais um pouquinho, ok? E depois falamos sobre as tuas plantas, mas olha que as minhas também recebem muitos maus tratos, eu é que só ponho as mais bonitas no blog :P
Beijimhos

João Barbosa disse...

palavras bonitas

Nekynho disse...

O problema não é quando eu olho para o amor. O problema é quando ele olha pa eu lol
Baci :o)

HatA/mãe disse...

Um texto lindissimo cheio de Amor.
Nem me atrevo a coentar, pois faltam as palavras elas estão todas lá no texto.
Um abraço fechadinho

greentea disse...

parece q o meu blog já está resolvido.
ontem os comments apagavam-se
não sei ...
beijinhos

Desambientado disse...

Sa.ra

Continua a iluminar os nossos caminhos com a tua definição de amor.

Lindo.

sa.ra disse...

João Barbosa

palavras, acredito, são gestos... acções... Pensamanto falado, meterializado, tornado concreto, tangível!
Obrigada pela visita!

beijos!
um dia feliz!

sa.ra disse...

Jardineira Aprendiz,

Ar para respirar, bolsa de oxigénio... algo para inspirar... daqui, aqui respiro eu, sem dúvida!

beijinho
dia feliz!

sa.ra disse...

Nekynho,
Quando amor olha para ti só espera que o reconheças...

não achas?
:)

beijinho
dia feliz

sa.ra disse...

Noite Estrelada,

Querida...
O amor cura tudo! cura tudo, não achas?

beijinho
tem um dia feliz!

sa.ra disse...

Desambientado,

A minha definição de amor tem sido re-descoberta em cada passo do caminho... e nele encontro peregrinos... bons, com os pés na terra do chão, que sonham e não temem o sonho... isnpiram-no, tal como o fazes, tão bem!

obrigada!
bj
tem um dia muito feliz

jorgesteves disse...

Ora então aqui vai, amiga:

(Embora nascido na India, é inglês e foi Nobel da Literatura em 1908, creio; é universalmente conhecido pela sua obra infantil 'O livro da selva')

If you can keep your head when all about you
Are losing theirs and blaming it on you,
If you can trust yourself when all men doubt you
But make allowance for their doubting too,
If you can wait and not be tired by waiting,
Or being lied about, don't deal in lies,
Or being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise:
If you can dream--and not make dreams your master,
If you can think--and not make thoughts your aim;
If you can meet with Triumph and Disaster
And treat those two impostors just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to, broken,
And stoop and build 'em up with worn-out tools:

If you can make one heap of all your winnings
And risk it all on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breath a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: "Hold on!"

If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings--nor lose the common touch,
If neither foes nor loving friends can hurt you;
If all men count with you, but none too much,
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run,
Yours is the Earth and everything that's in it,
And--which is more--you'll be a Man, my son!

...e sempre ao dispor!
abraços
jorgesteves

Ruth Iara disse...

Meu coment para o último post poderia ter sido feito aqui, porque muitas vezes precisamos dar aquilo que necessitamos e sim, podemos. Aquilo que parecia nos faltar e estar no outro ou com os outros pode ser encontrado dentro de nós mesmos e só saberemos o que temos se formos capazes do gesto de oferecer. E que assim seja, minha querida! Que possamos encontrar o amor dentro de nós, mesmo quando aparentemente estamos desfalcados e encontrando barreiras externas.
Eu disse um dia destes para minha mãe: Mâe, reza por mim. Só peça a Deus para que eu veja. Estou precisando ver melhor, quem realmente vê não precisa de mais nada. Ela rezou e eu vi alguns fatos sob outro prisma bem mais favorável a mim mesma.

Beijos!

calvin disse...

E viva o Amor nas suas múltiplas facetas! Entre o Eu, o meu Espelho e o Outro. Um reflexo, uma cadeia, uma corrente que nos liga ao todo, vida após vida. Compreender a magnificência da lei de acção e reacção é o caminho para semear, sempre. Sem dúvidas, receios, revoltas ou incertezas.
Uma declaração ao amor próprio!

Isabel José António disse...

Querida Sa.ra!

Que belíssimo post!

Um grande abraço, querida Amiga!

Isabel