18 abril, 2006

vontade




Apetece-me mergulhar no Oceano
e tocar o fundo do céu.

Apetece-me flutuar entre as estrelas,
boiar na luz da lua cheia,
agarrar-me ao dorso de certos cometas
e cortar as ondas das órbitas dos planetas.

E depois, num fôlego profundo,
vir à superfície,
só para encher o pulmões com o brilho do sol.

Ai, apetece-me tanto nadar na Via Láctea.
Será loucura ter uma vontade assim?


26 comentários:

pe disse...

não minha querida, isso é saúde.
fica tranquila.
beijos!

sa.ra disse...

ehehhehehhe!


obrigada!
mais descansada, então!
beijo, beijos!

jorgesteves disse...

É loucura é! Que vem do tempo em que nasceu!...
(Um dia próximo vou escrever sobre o 'meu' unicórnio...)
um beijo,
jorgesteves

jorgesteves disse...

Passando a explicar...
Todo o poema revela uma simbiose entre o 'eu' (a autora mas, na essência, todo o género humano) e o Universo. O que pressupõe, talvez, que é nessa simbiose que se gera o Homem. Se assim é a 'loucura vem do tempo em que nasceu', na medida em que, para aquém do nascimento terreno estará, nesta perspectiva, a origem universal de cada um de nós. Daí a... loucura (no sentido em que tal visão cosmológica será, com certeza, apanágio de poetas ou...loucos! E, diga-se, 'loucos' no sentido em que só os loucos podem visionar o que está para além do pó da estrada...)
Será que me expliquei mais ou menos?...
Afinal eu só queria dizer que o poema está Universal!
...
áh!, e amanhã ouvimos o Adriano e depois o José Afonso...
jorge

sa.ra disse...

ai Jorge, desculpa...
mas hoje estou mesmo parada naquela baetitude pueril... de onde veio o texto/poema ... e deonde veio também a pergunta...
(temo um certo pudor em chamar-lhe poema ... )

ehehehhehe
explicaste-te muito bem! mutíssimo bem! obrigada!

obrigada!

beijo!

Jardineira aprendiz disse...

Às vezes também me apetece! Em relação ao comentário anterior, acho que tu sabes muita coisa, até porque elas não precisam assim tanto de nós. E tenho a certeza que elas gostam de ti, por isso nas tuas mãos também crecem bonitas! Beijos

Jardineira aprendiz disse...

Ops, crescem

Maria Costa disse...

Sa.Ra, gostei de ler este mergulho, este vir à superficie, encher os pulmões do brilho do sol e nadar.

Beijinhos, "mergulhadora".

raquel disse...

é sinal de que estás viva! de que tens viva! sinal de que queres viver antes de seguir.

Era uma vez um Girassol disse...

Querida Sa.ra, que vontade maravilhosa essa, nunca deixes de te sentir assim!
Palavras escritas e compostas em brilhos, ondas, vôos também fazem bem a quem as lê...
Bjinho

Jorge Moreira disse...

Loucura não, mas uma Alma de Poetisa que nos encanta...
Beijinhos,

Tulipa disse...

Adorei conhecer esta tua árvore,cheias de frutos tão deliciosos.
Visitar este Pomar, que mais parece um jardim de palavras...
Acho que venho cá mais vezes! Continuação de um bom cultivo.

greentea disse...

também gostaria de mergulhar nos infinitos do silencio
nas entranhas do mar
percorrer a via lactea
até chegar
a outros sóis

sa.ra disse...

Olá Raquel,

Bem vinda!
obrigada pela visita e pelo teu comentário! belo diagnóstico!
:)

beijo!
tem um dia feliz!

sa.ra disse...

Maria do Céu,

Mergulhadora também, muito, de asas abertas... na direcção do voo!
Somos... qualquer dia, um bando!

beijos
dia feliz!

sa.ra disse...

Girassol,

bolas, bolas!
amanhã, hei-de trazer um girassol que ando para te oferecer!

voemos nas palavras, com as palavras... afinal a palavras soltam-se também no ar... e voam e dão-nos asas!

beijos
um dia muito feliz, flor que gira com o sol!

sa.ra disse...

Tulipa,
bem vinda!
obrigada pelo teu cumprimento!

uns posts abaixo, há pouco tempo, plantei tulipas... lindas, não são!
flores lindas!

beijos
um dia feliz!

sa.ra disse...

Jorge M.

obrigada!!!!!
que bom ter-te por cá!
(ando a magicar uma forma de responder ao desafio que fizeste!)

beijos,
um dia feliz!

sa.ra disse...

Greentea,

hás-de chegar... ou já chegaste... sem que tenhas reparado ainda!

o teu coração chegou de certeza!!!
eu sei!

beijos,
tem um dia feliz!

sa.ra disse...

Jardineira Aprendiz,

sobre as coisas que crescem assim, sem grande ajuda... bem, descobri que romperam da terra, num vaso lá em casa, onde pensava só havia mesmo terra...JACINTOS!

ficaram os bolbos, do ano passado... e de repente! boom!
não fiz nada, juro!

mas, o ano passado não correu bem... flores? nem vê-las!
a planta murchou, morreu, secou, sei lá...

acho que a afoguei!
preciso de ajuda!

beijos!
dia feliz!

Ohniar disse...

Ui,
muito agradável
graciosas imagens
Palavras Deliciosas
Braços de sonho
Ondas de liberdade

A essa loucura eu chamo lucidez
Um espírito aberto ao mundo
Respirar de dia a luz do sol
E sonhar com ela de noite
Em silêncio construir
Um navio
E navegar nesse mar

Beijinhux

sa.ra disse...

Onniar,

que bonito!
obrigada!

beijos

HatA/mãe disse...

Sa.ra

Não tinha lido este teu mergulho, estou fascinada sabes?
Foi um mergulho super original, eu diria único.

Ainda estou a disfrutar das palavras...
Beijos querida

Ruth Iara disse...

Linda poesia!
Eu quero quando você sonhe com estas coisas, sonhe tão forte e intensamente que estejas verdadeiramente lá, mesmo que em sonho, pois sonho também é vivência e muitos fatos da vida são como um sonho, eles passam e fica tudo de bom, tudo de lindo e verdadeiro que podemos lembrar dos sonhos se acreditarmos no aprendizado de toda experiência.

Beijos!

calvin disse...

Estava a ver que não tinha companhia para as minhas viagens...
Quem estabelece os limites da imaginação e das viagens do espírito?

Isabel José António disse...

Não é loucura, é como aquela vertigem boa que se tem quando, crianças, nos deitamos na terra observando o céu estrelado!!!

Isabel