14 fevereiro, 2006

Ser amoroso - aquilo, aquele que é amoroso...


O Beijo, Gustav Klimt (1907 - 08)

Quem acha uma mariquice beijinhos, abraços, ternura e todas essas “tolices” que sabem tão bem?
Quem acha que celebrar isso é um disparate desnecessário?

Esta manhã, os meus filhos estavam doidos para chegar ao colégio... conspiravam com sorrisinhos e grandes planos para o dia... ai, que coisa boa, esta liberdade de ser criança e viver sem preconceitos!
E, então, disse a minha filha, cujo nome significa “aquela que traz amor”: “Eu sou o coração do dia dos namorados!”... Caiu-me tão bem! É que é mesmo!
Disse-o, porque de fato-de-treino todo vermelho, estava vestida da cor do coração... e de sorriso cheio, não se deteve, porque as crianças não se detêm em considerações que atrofiam o livre sentir!

Os amantes de Gaia, uma boa parte deles, celebraram ontem, sob um céu cheio de Lua, o despertar da Terra, da Vida!
E hoje, lá porque se comercializa ostensivamente o enamoramento, não vejo porque não podemos celebrá-lo sem cominhões e contemplações detractoras desta coisa boa que é “ser amoroso”! O amor sabe bem, faz bem!

(Vi pombos a namorar! Que descarados! Tão amorosos, logo no dia dos namorados! Serão, estarão a ser pirosos?!)

Um dia feliz, cheio daquelas mariquices que nos lembram (ou deveriam lembrar) que é para amar e sermos amados que andamos cá!

3 comentários:

isabelua disse...

A verdade esconde-se na poesia...
E esconde-se também nas palavras que as crianças lançam ao ar, como bolas...

sa.ra disse...

e é tão bom estares de volta!
não é linda esta coincidência (?!): o regresso da Vida e de ti... tudo ao mesmo tempo!

:)

tou tão, tão feliz!

greentea disse...

A MINHA FILHA TB COLABOROU COM O PAI NAS DITAS MARIQUICES - UMA TERNURA... E AMBOS ESPERARAM POR MIM PARA JANTAR JÁ DEPOIS DAS 9H, QUANDO CONSEGUI LIBERTAR-ME DOS TRABALHOS E ENTRAR EM CASA.
ESTAVA LUA CHEIA SIM MAS ONTEM PARA ESTAS BANDAS MEIO ENCOBERTA PELAS NUVENS.