21 fevereiro, 2007

o amor cura


Ode to Kimpt de Danny MacBride
A tua dor e a tua ferida
não são a mesma coisa.
Cuida da tua ferida.
(segue-lhe o rasto, aproxima-te, observa-a, conhece-a profundamante, sem julgamentos, com ternura)
E deixarás de sentir dor.

18 comentários:

greentea disse...

e volta à praia da tua infancia!


Um abraço.
O Amor Cura.

Quem Ama não adoece!

Avusa disse...

liberta-te e a dor deixará de ser tua…

Teresa Durães disse...

segunda ao fim da tarde os meus três cães fugiram lá de casa :(( e ainda não apareceram :((

beijos

Daterra disse...

Que bom:)

Sabes, estou mesmo convencido disso...

Abraço pa ti:)

IsaMar disse...

É verdade o Amor...faz bem ao coração, á Alma.
Faz-nos sentir Vivos...

beijinhos madeirenses

Jardineira aprendiz disse...

'... A dor é inevitável. O sofrimento é opcional' Carlos Drummond de Andrade. Conheces?
Estou contigo, também!
Beijinhos

Klatuu o embuçado disse...

Call 112 :)

Isabel José António disse...

Cara Amiga,

Venho retribuir-te a visita (desta vez, parece que estou a conseguir efectuar um comentário).

É bem verdade o que dizes. Só o amor (a força energética primordial, cura. Tirando as dores físicas (ex. uma martelada num dedo, um corte, uma ferida provocada ppelo impacto dum objecto contudente, etc) as dores psicológicas, são causadas pelo ego que se tenta fazer passar pelo EU de cada um.

Vou citar-te um pequeno trecho dum livro que comprei em Dezembro de 2006 e que devorei num ápice:

"...

Nietzsche escreveu: "Para a felicidade, é preciso tão pouco para a alcançar! Precisamente a mínima coisa, a mais ínfima coisa, a coisa mais banal, o frufru de um lagarto, um murmúrio, uma sacudidela, um olhar - o que parece de somenos importância constitui a maior felicidade. Parmaneça em silêncio."

Porque razão é a "mínima coisa" que constitui a "maior felicidade"?
Porque a verdadeira felicidade não é CAUSADA por uma coisa ou um acontecimento, embora no início assim possa parecer. A coisa ou o acontecimento é tão subtil, tão discreto, que ocupa apenas uma pequena parte da nossa consciência - e o resto ESPAÇO INTERIOR, a própria CONSCIÊNCIA não obstruída pela forma. O Espaço Interior, a CONSCIÊNCIA e a ESSÊNCIA de quem somos são a mesma coisa. Por outras palavras, a forma das pequenas coisas deixa lugar livre para o espaço interior. E é do espaço interior, da consciência em si não condicionada que a verdadeira felicidade, a alegria do SER, emana. Contudo, para que seja consciente das coisas pequenas e silenciosas, tem de permanecer em silêncio dentro de si, o que requer uma grande capacidade de alerta. Fique em silêncio. Olhe. Oiça. Esteja presente.

Outra forma de encontrar o espaço interior é tornar-se consciente de estar consciente. Diga ou pense "Eu Sou", sem lhe acrescentar nada. Tome consciência da quietude que se segue ao Eu Sou. Sinta a sua presença, o seu Ser a descoberto, exposto, despido. Este Ser não é possível de ter atributos, como novo ou velho, rico ou pobre, bom ou mau. É O AMPLO VENTRE DE TODA A CRIAÇÃO, DE TODA A FORMA.

..."

Do livro: "UM NOVO MUNDO"-Despeetar para a essência da Vida.
-Eckhart Tolle - Pergaminho

Um grande abraço

José António

Jonice disse...

Sem julgamentos, com ternura. Este é o lembrete amoroso. Obrigada!
Beijinhos :)

PE disse...

(o que escreves a laranja) chama-se a isso, "lamber a ferida"? os bichos fazem isso desde sempre... :)
grande beijo

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Espectacular...

Bem.. eixou-me a pensar e agora este coment por cima do meu... bem.. completou...

É realmente o amor cura!
Basta sabermos ao certo cuidar da ferida, compreendermos tudo o que está por detrás... para deixarmos de sentir dor...

bonita frase!

1 beijo =^.^= tarina

bettips disse...

Venho deixar-te o meu pensamento e um beijinho. Obg pelo conselho, sempre a ter presente (por vezes difícil).

avelana disse...

o amor cura , sem dúvida, algumas feridas.

A Natureza encarrega-se de sarar outras chagas !

beijinhos

cris disse...

E que bom seria se todos conseguissemos distinguir as nossas feridas da nossa dor. E perceber que somos muito além de ambas!

Beijinho para ti *

túlio hostílio disse...

simplesmente maravilhoso......

wicky disse...

por vezes uma planta, outras um animal que nos é querido , outras alguém q fica perto de nós e as feridas saram e a dor vai-se ...

beijinhos

Micaeerton disse...

Na tranquilidade da manhã de fim de Inverno, as palavras de Danny MacBride foram Sol para este meu dia.

Liliana disse...

Olá.


É preciso ganhar distância e estar atenta. O problema é que nós distraimo-nos de vez em quando.
Um abraço.